Antigamente as penas de aves faziam as vezes de canetas: a ponta da pena era mergulhada na tinta para escrever. Posteriormente uma ponteira metálica em forma de pena foi adaptada à pena (ou caneta) para facilitar a escrita, conferindo-lhe um aspecto mais preciso. As canetas de pena antigas, portanto, NÃO POSSUEM um reservatório (em seu interior) para armazenamento da tinta, diferentemente da caneta-tinteiro.