O Cão de Fó  têm a aparência de leões de são os antigos cães sagrados da Ásia, que guardavam, e guardam, os templos budistas. As representações artísticas são variadas. O leão, na religião budista, é visto como sagrado, e por vezes tem sido oferecido ao Buda como um sacrifício. O nome dado a esses guardiões é originário da China. Os Cães de Fó podem ser encontrados já a partir de 200 a.C.

É importante ressaltar que o Cão de Fó também é conhecido como o Cão Celestial, e o Cão da Felicidade. O animal é um símbolo de energia e de valor, e é muitas vezes, a maioria delas, representado em casal. O masculino brinca com uma bola que simboliza a Terra, enquanto que o feminino se ocupa com um filhote.

O Cão de Fó era o protetor de edifícios sagrados e um defensor do direito. Os cães comumente eram colocados em instituições empresariais, portões dos templos, pátios de acessos, e quintais. Também não foi incomum ver estes cães guardiões sagrados guardando túmulos ou colocados na frente de prédios do governo para assustar maus espíritos. Por isso eles têm um aspecto ameaçador. Os Cães de Fó se apresentam de muitas formas, tamanhos, materiais diferentes, e cores. Seus rostos têm um ar brincalhão, mas um olhar quase diabólico.