Fotos meramente ilustrativas no nosso DICIONÁRIO DE ANTIGUIDADES.  Não fazem parte do nosso acervo!

O cristal propriamente dito é aquele tipo de mineral encontrado na natureza que abrange tanto o diamante quanto o quartzo.

O vidro cristal é um tipo de material utilizado para a fabricação de lustres, taças e copos mais refinados.

“O vidro cristal e o vidro comum têm uma estrutura molecular praticamente idêntica: a diferença está nos elementos químicos que compõem essa estrutura”.

Detalhe químico separa o vidro comum do cristal:

1 – A estrutura molecular de ambos os materiais tem o mesmo desenho.

2 – O principal componente dos dois é a areia (sílica). Os outros ingredientes é que variam.

3 – O vidro comum combina a sílica com óxido de sódio, óxido de cálcio e óxido de alumínio.

4 – O cristal acresce à sílica apenas o óxido de chumbo (substância que dá mais brilho e maior peso ao produto).

CARACTERÍSTICAS DO VIDRO COMUM:

O custo é mais baixo, é mais comum (mais popular). NÃO É CRISTALino. É mais translúcido. O toque é mais “aspero”. Se colocar um líquido dentro (de um recepiente de vidro) ele fica mais nebuloso, O vidro ABSORVE o som, que fica mais denso, mais seco. Ou seja, não produz uma nota musical, ao ser tocado.

O VIDRO CRISTAL:

O óxido de chumbo, presente na composição do vidro cristal com a  base de sílica (areia), confere mais dureza, rigidez, peso, brilho CRISTALino, transparência, fragilidade e SORONIDADE à peça. O líquido dentro de um recipiente de vidro cristal fica mais visível, claro, límpido. Ao toque, tem-se uma sensação mais suave e arredondada.  Ao ser tocado (ex, com as unhas de 2 dedos puxados simultaneamente à sua borda para fora), emite uma NOTA MUSICAL. longa. Tanto é que é possível, inclusive, fazer-se música utilizando-se de vários copos.

 

Share This